Quote da Semana

"Se você vai tentar, vá até o fim.
Caso contrário, nem comece."

- Charles Bukowski.

Resenha: A culpa é das estrelas por John Green.

" Meus pensamentos são estrelas que eu não consigo arrumar em constelações." pág.281

Hazel é uma paciente terminal. Ainda que, por um milagre da medicina, seu tumor tenha encolhido bastante - o que lhe dá a promessa de viver mais alguns anos -, o último capítulo de sua história foi escrito no momento do diagnóstico. Mas em todo bom enredo há uma reviravolta, e a de Hazel se chama Augustus Waters, um garoto bonito que certo dia aparece no Grupo de Apoio a Crianças com Câncer. Juntos, os dois vão preencher o pequeno infinito das páginas em branco de suas vidas.

Comprei esse livro na pré-venda sem ler a sinopse. Simplesmente por dois motivos. O título e o comentário de Markus Zusak - escritor de A menina que roubava livrosEu sou o mensageiro -, na capa. Não se pode ignorar um comentário dele.

Quando comecei a ler, aconteceu uma coisa inédita. Eu estava economizando o livro para que ele não acabasse. Na primeira sentada li cem páginas. Me obriguei a parar e tentei fazer isso a cada trinta páginas que lia. Era perfeição de mais para somente 280 páginas! O pior era que todo o tempo entre minhas pausas de leitura eu só pensava na história.
Obviamente, quando o livro foi se aproximando do final ficou impossível parar de ler. Eu também ficava muito brava com as pessoas que tentavam me interromper.

Depois, tive problemas quando o livro acabou. Fiquei cerca de um dia sem conseguir ler mais nada. E quando fui ler outros livros, nenhum parecia ser bom o suficiente.

Portanto, se você se tornar um anti-social durante a leitura desse livro ou não conseguir gostar ou ter atenção nas suas leituras seguintes, considere como um efeito colateral de A culpa é das estrelas.

Hazel tem um câncer terminal que está controlado por medicamentos experimentais. Ela já sobrevive a três anos e ainda tem alguns poucos anos pela frente, com ajuda de um aparelho para respirar que ela tem que carregar, sempre, consigo - e claro,  seus medicamentos. Ela já não vai na escola a alguns anos mais sua mãe insiste que ela vá ao Grupo de Apoio para Crianças com Câncer. E é lá que Hazel vai conhecer Augustus. Ele teve câncer e por causa disso teve que amputar uma perna. Hoje ele se encontra sem evidências de câncer. Ele vai no grupo para dar um apoio e acompanhar seu amigo, Isaac. É nesse grupo que os dois vão se conhecer e assim se interessar um pelo outro.

Acredito que um livro bom tem que conseguir prender o leitor, questioná-lo sobre alguma coisa, fazer com que ele se emocione e aprenda alguma coisa nova. Johhn Green conseguiu fazer tudo isso nesse livro. Não tem nada que eu desejasse acrescentar ou tirar. Acho impossível alguém conseguir apontar uma coisa ruim a respeito dessa história.

Quando você pensa em um livro em que a personagem principal tem um câncer terminal, logo você imagina uma história bem triste. Mais A culpa é das estrelas não é assim. Você vai chorar. E muito. Mais vai rir bastante também. Parece estranho, uma personagem jovem, que sabe que vai morrer e ainda consegue fazer você rir. John Green conseguiu me fazer dar boas gargalhadas e chorar, na mesma página!

É triste sem ser extremamente dramático e é engraçado sem ser estranho - apesar dos personagens estarem passando por coisas nada engraçadas. Tem o equilíbrio perfeito entre os dois.

Hazel e Augustus são personagens mais que incríveis! Não é só o fato de que mesmo estando enfrentando uma doença eles ainda tem humor. São os questionamentos deles, as revoltas. Tudo isso torna os dois únicos e inesquecíveis. Alias, o livro todo é assim.

Você está atrás de um livro tocante e marcante, esse é o livro. Dificilmente vai achar algum defeito nessas 280 páginas.

Onde comprar o livro? Americanas/ Saraiva/ Submarino.

Assista ao vídeo onde John Green fala sobre A culpa é das estrelas - sério, vale a pena.


Quotes!

" Sempre que você lê um folheto, uma página da Internet ou sei lá o que mais sobre câncer, a depressão aparece na lista de efeitos colaterais. Só que, na verdade, ela não é um efeito colateral  do câncer. É um efeito colateral de estar morrendo." pág.11

" Só tem uma coisa pior nesse mundo que bater as botas aos dezesseis anos por causa de um câncer: ter um filho que bate as botas por causa de um câncer." pág.15

" Às vezes, um livro enche você de um  estranho fervor religioso, e você se  convence de que esse mundo despedaçado só vai continuar inteiro de novo a menos que, e até que, todos os seres vivos o  leiam. E aí tem livros como Uma aflição imperial, do qual você não consegue falar - livros tão especiais e raros e seus que fazer propaganda de sua adoração por eles parece traição." pág. 36

"  - Foi aquele menino que deu isso para você? - ela perguntou.
   - Com isso você quer dizer herpes?" pág.41

"... o que quer dizer com significou? Dada a frivolidade derradeira de nossa luta pela vida, terá algum valor a efêmera carga de significado que a arte nos empresta? Ou o único valor estará em passarmos o tempo mais confortavelmente possível? O que uma história ficcional deveria pretender emular, Augustus? O soar de um alarme? Um grito de guerra? Uma injeção de morfina? Obviamente, como todas as interrogações do universo, esta linha de investigação inevitavelmente reduz-nos a perguntar o que significa ser humano e - pegando emprestado uma frase dos jovens angustiados de dezesseis anos que o senhor sem dúvida repudia - se há algum sentido nisso tudo." pág.67

" Para ser sincera, eu leria até sua lista de compras de supermercado." pág.70

" ... o que me deixou com medo de que, quando eu morresse, eles não tivessem mais nada a dizer sobre mim exceto que lutei heroicamente, como se a única coisa que eu tivesse feito na vida fosse Ter Câncer." pág.96

" Todos nessa história têm uma hamartia sólida como uma rocha: a dela, estar tão doente, a sua, estar tão bem. Se ela estivesse melhor que o senhor ou o senhor, mais doente, então as estrelas não estariam tão terrivelmente cruzadas, mas é da natureza das estrelas se cruzar, e nunca Shakespeare esteve tão equivocado quando fez Cássio declarar: " A culpa, meu caro Bruto, não é de nossas estrelas/ Mas de nós mesmos." Fácil falar quando se é um nobre romano (ou Shakespeare!), mas não há qualquer escassez de culpa em meio às nossas estrelas." pág.106

" ... os mortos são visíveis apenas através do terrível olho vigilante da memória. Os vivos, graças aos céus, mantém a capacidade de surpreender e de decepcionar." pág.107

"... não importa o quão forte seja o impulso, não importa o quão alto se chegue, não será possível dar uma volta completa." pág.117

" - Estou apaixonado por você e não quero me negar o simples prazer de compartilhar algo verdadeiro. Estou apaixonado por você, e sei que o amor é apenas um grito no vácuo, e que o esquecimento é inevitável, e que estamos todos condenados ao fim, e que haverá um dia em que tudo o que fizemos voltará ao pó, e sei que o sol vai engolir a única Terra que podemos chamar de nossa, e eu estou apaixonado por você." pág.142

" - As pessoas sempre acabam ficando insensíveis à beleza.
  - Eu ainda não fiquei insensível a você - ele retrucou, sorrindo." pág.150

" - Ah, eu não ia me importar Hazel Grace. Seria uma honra ter o coração partido por você." pág.161

" - O senhor deve nos desculpar, mas nós não falamos sueco.
  - Bem, é claro que não falam. Eu também não. Quem é que raios fala sueco? O importante não é o que as vozes estão dizendo, o que quer que seja, mas o que as vozes estão sentindo." pág.172

" Até onde eu sei, você pode escolher a forma como contar uma história triste nesse mundo, e nós fomos pela opção divertida..." pág.190

" - Uma metáfora das boas - ele balbuciou.
  - É mesmo? - perguntei.
  - A imagem em negativo de coisas sendo unidas pelo vento e depois indo pelos ares - ele falou." pág.191

" - Não é justo - falei. - É tudo tão injusto...
  - O mundo não é uma fábrica de realização de desejos." pág.195

" - Grande guerra - ele disse com desdém. - Estou em guerra contra o quê? O meu câncer. E o que é o meu câncer? Meu câncer sou eu.Os tumores são feitos de mim. Eles são feitos de mim tanto quanto meu cérebro e meu coração são feitos de mim. É uma guerra civil, Hazel Grace, a gente sabe quem vai vencer." pág.196

"Alguns infinitos são maiores que outros... Queria ter mais números do que provavelmente vou ter...meu amor, você não imagina o tamanho da minha gratidão pelo nosso pequeno infinito. Eu não o trocaria por nada nesse mundo.Você me deu uma eternidade dentro dos nossos dias numerados, e sou muito grata por isso.” pág.235

" - A tristeza não nos muda, Hazel. Ela nos revela." pág.259 

" Os verdadeiros heróis, no final das contas, não são as pessoas que realizam certas coisas; os verdadeiros heróis são os que REPARAM nas coisas." pág.282

Ok, talvez eu não devesse postar tantos quotes assim - e não, não coloquei aqui todos os que eu marquei.

Comentou nessa resenha? Preencha o formulário!

9 comentários

  1. Poxa esse livro parece ser perfeito! Me lembra um filme q vi e gostei muito "Inquietos" *-*

    Adorei a resenha, através dela cheguei a conclusão de q tenho q ler esse livro!

    bjs

    ResponderExcluir
  2. Que pena que esse livro é tão fininho. Mas tudo nele me chamou a atenção. O titulo, a capa, a historia, enfim, ainda não tenho lido nenhuma resenha negativa sobre esse livro, então claro que está no topo de minha lista de desejos.Bjksss

    ResponderExcluir
  3. Estou louca por este livro, falam maravilhas dele.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  4. Apesar da capa nao ser muito bonita , a historia parece boa , me identifico kkk

    ResponderExcluir
  5. "É triste sem ser extremamente dramático e é engraçado sem ser estranho" não li nenhuma definição tão precisa quanto esta sobre o livro. Cada resenha que leio é esta sensação que tenho do livro. Só pelos quotes tenho certeza que vou adorar.

    @luci_eleoteria

    ResponderExcluir
  6. São pouquíssimos os livros que fazem com que o leitor se emocione e chore numa mesma página... Preciso comprar esse livro. Este ano, a Intrínseca está superando a cada ano. Incrível como uma editora "moderna" consegue selecionar bons títulos... Como diz o seu slogan: Publicamos poucos e bons livros.

    ResponderExcluir
  7. Esse livro está na minha lista de próximas leituras. Uma história belíssima que mexe com os sentimentos do leitor e suas opiniões sobre a vida.

    ResponderExcluir
  8. Você ri, chora e quer mais. é assim lendo e depois quando acaba. um livro incrivelmente bom. inesquecível Hazel Grace ;)

    ResponderExcluir
  9. esse livro é realmente maravilhoso, mas muito fininho... como você, também economizei na leitura para durar mais!! uma leitura que me lembrarei para sempre, com certeza um dos meus favoritos!!

    ResponderExcluir

Oi, pessoal! Obrigado por comentar e dividir suas opinioẽs, só tomem cuidado com comentários ofensivos.