Quote da Semana

"Se você vai tentar, vá até o fim.
Caso contrário, nem comece."

- Charles Bukowski.

Resenha: O começo do adeus por Anne Tyler.

Anne Tyler nos leva a um romance sábio, assustador e profundamente tocante em que descreve um homem de meia-idade, desolado pela morte de sua esposa, que tem melhorado gradualmente pelas aparições frequentes da mulher — na casa deles, na estrada, no mercado. Com deficiência no braço e na perna direita, Aaron passou sua infância tentando se livrar de sua irmã, que queria mandar nele. Então, quando conhece Dorothy, uma jovem tímida e recatada, ele vê uma luz no fim do túnel. Eles se casam e têm uma vida relativamente modesta e feliz. Mas quando uma árvore cai em sua casa, Dorothy morre e Aaron começa a se sentir vazio. Apenas as aparições inesperadas de Dorothy o ajudam a sobreviver e encontrar certa paz. Aos poucos, durante seu trabalho na editora da família, ele descobre obras que presumem ser guias para iniciantes durante os caminhos da vida e que, talvez para esses iniciantes, há uma maneira de dizer adeus.

Fiquei com vontade ler O começo do adeus por causa da leitura de P.S Eu te amo. Os dois tem algumas semelhanças. Ambos acompanham pessoas que perderam seus cônjuges e que agora estão tentando sobreviver a essa perda. Como gostei muito do romance da Cecelia Ahern resolvi me aventurar nesse livro pela simples pequena semelhança entre as histórias.

Aaron tem uma deficiência física no braço e na perna direita. Na sua infância e adolescência toda ele foi tratado como um "coitadinho"  - e até mesmo como um inválido -  por sua mãe. Todas as pessoas parecem olhá-lo com ar de pena. Mas quando ele conhece Dorothy percebe que ela é diferente. Ela o trata normalmente. Isso faz com Aaron se encante por essa médica complicada.
Os dois começam a namorar e poucos meses depois já estão casados.

Após um dia estressante no hospital Dorothy chega em casa e encontra Aaron adoecido. Eles começam a conversar e de repente estão brigando. Bravos, cada um vai para uma parte da casa. Ela vai para o quintal e ele para o quarto. E nesse momento, uma árvore cai destruindo parte da casa e matando Dorothy.

Aaron fica completamente em choque - o que era de se esperar. E agora ele vai ter que tentar se adaptar a uma nova vida sem sua esposa. O que não vai ser nada fácil. Enquanto sua casa passa por reformas ele vai morar na casa de sua irmã, Nandina. Logo depois disso, em um belo dia Dorothy começa a aparecer - sim, depois de morta. Eles conversam pouco nessas ocasiões, geralmente só ficam em silêncio lado a lado.

O começo do adeus tem sim suas lições de vida. Não é um livro que você não possa aproveitar nada, mas por a autora já ter ganhado até o Pulitzer - e pela quantidade de elogios - eu esperava mais, bem mais.

É um livro com capítulos bons, seguido por outros extremamente entediantes. É um livro tão curto e mesmo assim foi uma leitura demorada. As aparições de Dorothy não são tão interessantes como eu imaginei que seriam, e não mudam muito o rumo da história. Não consegui criar afeição por nenhum personagem. Não consegui me envolver com o romance de Dorothy e Aaron.

A história não tem grandes acontecimentos também. Já é um livro pequeno, e ainda tem bastante enrolação.

Consigo separar os livros que gosto mais, ou que acho melhores, quando acho que será um livro que eu posso querer reler um dia. Eu não acho que vou reler O começo do adeus algum dia.

Eu vi várias resenhas positivas desse livro. Infelizmente eu não gostei muito. Mas não posso negar que ele tem suas lições. Você  também pode ler como curiosidade em conhecer uma autora tão aclamada como a Anne Tyler. E vai que você não acaba gostando?

Onde comprar o livro? Fnac/ Ponto frio/ Extra.

Esse livro foi cortesia da editora Novo Conceito.

Assista ao book trailer:

Quotes!

" ... eu tinha perfeita conciência de que ver uma pessoa morta era loucura... Mas ponha-se no meu lugar: pense em uma pessoa que você perdeu e de quem vai sentir saudades até o fim de seus dias e então imagine encontrá-la em público... Você não questionaria sua sanidade, porque não suportaria pensar que não é real. E com certeza não exigiria explicações, nem alertaria as pessoas ao redor ou estenderia a mão para tocá-la, nem que sentisse que um toque valeria desistir de qualquer coisa. Você seguraria a respiração. Ficaria o mais imóvel possível. Pediria à pessoa amada que não fosse embora de novo." pág.153

Comentou nessa resenha? Preencha o formulário!
a Rafflecopter giveaway

16 comentários

  1. Mah!
    Engraçado... pela sinopse o livro parece interessante, mas como já estou acostumada com esses livros americanos que são Best Seller do New York Time não serem essas coisas, acredito que o livro não seja tão empolgante mesmo, mas deve ter lá suas lições que valem a pena a leitura.
    Bom final de semana.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  2. a sinopse já não me chamou atenção e vendo a sua resenha eu já confirmo que não o leria!
    Estou cansado de livros que você se arrasta para acabar e esse parece que seria assim!
    Beijos
    http://leituradeouro.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Não sou fã de livros excessivamente sentimentais e nesse caso já não tinha muita vontade. Depois de ler seus comentários sobre ele fiquei com menos vontade ainda de ler sobre ele, me pareceu monótono.

    Thais Vianna
    @dathais

    ResponderExcluir
  4. Gostei muito da resenha... Quero muito ler...

    ResponderExcluir
  5. Gostei da sua sinceridade ao fazer a resenha.

    Espero não me decepcionar ao lê-lo pois isso tem acontecido com os livros que viram febre na blogosfera.

    Um leve bater de asas para todos!!!

    ResponderExcluir
  6. O livro tem um toque espírita, não gosto muito de mortos que voltam ^^ mas me arrisco a ler para saber o final.

    ResponderExcluir
  7. amo livros em primeira pessoa, acho que conseguimos sentir muito mais a emocao do personagem. nas resenhas que li nao gostei muito, mas depois da sua me empolguei, vou ler com certeza!

    ResponderExcluir
  8. qdo li a sinopse desse livro a primeira vez qse chorei,q historia triste! gostei da sinceridade da sua resenha e q pena q vc nao gostou.

    ResponderExcluir
  9. Gostei muito não, é muito triste, ele sofre muito, mas acho que ele vai encontrar uma vida feliz no desfecho da historia.

    ResponderExcluir
  10. O livro sempre me passou essa impressão de não ter grandes emoções, e não é o tipo de historia que me agrada. Apesar de ter uma lição para pensarmos, não é um livro que me atrai.

    ResponderExcluir
  11. Boa resenha o livro da Anne Tyler convida o leitor a embarcar num mundo de grandes emoções,acompanhar a história de Aaron parece ser emocionante e triste ao mesmo tempo.

    ResponderExcluir
  12. Não gostei do book trailer comparando esse livro a Jane Auten!
    Poxa, não se compara nenhuma obra de hoje com os de Jane...kkk
    Enfim, eu sempre quis ler esse livro, mas também ja vi muitas resenhas negativas. Acho que cada um tem sua opinião. Eu arriscaria
    beijos
    Blog Leitura de Ouro

    ResponderExcluir
  13. Eu sempre fico um pouco chateada quando um livro promete grandes emoções mas a sua leitura não consegue me envolver, tornando-se entediante. Parece um grande desperdício de uma boa idéia que poderia ter rendido um livro memorável.

    ResponderExcluir
  14. Talvez a leitura compense pelas lições tiradas dela. Eu não tenho paciência para ler um livro em que os personagem não são envolvente e a historia é tediosa.

    ResponderExcluir
  15. Ainda não li nenhum livro dessa autora. E esse livro não me chamou muito a atenção :)

    ResponderExcluir
  16. A sinopse do livro não me chamou mt atençao nao, mas adorei a resenha :) Muito boa.

    ResponderExcluir

Oi, pessoal! Obrigado por comentar e dividir suas opinioẽs, só tomem cuidado com comentários ofensivos.