Quote da Semana

"Se você vai tentar, vá até o fim.
Caso contrário, nem comece."

- Charles Bukowski.

Resenha: Delírio por Lauren Oliver

Leia também a resenha de Antes que eu vá, da mesma autora de Delírio.

Muito tempo atrás, não se sabia que o amor é a pior de todas as doenças. Uma vez instalado na corrente sanguínea, não há como contê-lo. Agora a realidade é outra. A ciência já é capaz de erradicá-lo, e o governo obriga que todos os cidadãos sejam curados ao completar dezoito anos.Lena Haloway está entre os jovens que esperam ansiosamente esse dia. Viver sem a doença é viver sem dor: sem arrebatamento, sem euforia, com tranquilidade e segurança. Depois de curada, ela será encaminhada pelo governo para uma faculdade e um marido lhe será designado. Ela nunca mais precisará se preocupar com o passado que assombra sua família. Lena tem plena confiança de que as imposições das autoridades, como a intervenção cirúrgica, o toque de recolher e as patrulhas-surpresa pela cidade, existem para proteger as pessoas. Faltando apenas algumas semanas para o tratamento, porém, o impensado acontece: Lena se apaixona. Os sintomas são bastante conhecidos, não há como se enganar - mas, depois de experimentá-los, ela ainda escolheria a cura? 

Distopia. Essa palavra me faz correr, desesperada, para comprar um livro em pré-venda. Estou de olho em Delírio desde que fiquei sabendo que a Intrínseca tinha comprado os direitos autorais.Gostei bastante de Antes que eu vá da Lauren Oliver e isso também contribuiu na vontade de ler.

" Há sessenta e quatro anos o presidente e o Consórcio identificaram o amor como uma doença, e faz quarenta e três anos que os cientistas descobriram uma cura." pág.7

Bizarro isso, não? Um lugar onde o amor, que hoje é procurado por todos, é considerado uma doença.

Lena está ansiosa esperando seu aniversário de 18 anos para passar por uma operação que será a cura eterna do amor deliria nervosa. Tudo está correndo perfeitamente bem. Lena acredita fielmente que o amor é uma doença muito perigosa, e que tudo que a sociedade faz é para ajudar as pessoas. Até que ela se apaixona, é infectada pela doença, e começa a questionar tudo.

Gostei bastante dos personagens. Lena tem a cabeça que a sociedade moldou mais é uma boa personagem. Alex é misterioso - pontinho, gosto de personagens misteriosos. Desde a sua primeira aparição na história você fica intrigado. Hana, melhor amiga de Lena, foi uma personagem difícil para mim. Adorei ela no começo, - até mais que Lena -,com toda aquela rebeldia, comecei a sentir um pouco de raiva dela no meio, e gostei da atitude dela no final. Bipolar né?

Outra coisa que me deixou bem curiosa era a trágica história da mãe de Lena. Eu queria saber mais e mais sobre ela, cada pequena informação.

Não posso negar que o livro me lembrou um pouco Destino - sociedade que escolhe com quem você se casa, toque de recolher. A operação - apesar de serem por motivos diferentes - , me lembrou um pouco Feios. Mas como todas essas séries se tratam de distopias acho inevitável que não tenham alguma pequena semelhança.

No caso de Delírio temos mais é romance - claro né se trata de amor! Não que eu não tenha gostado do romance - adoro romances -, mais achei que a autora poderia ter explorado um pouco mais a história de outro ponto. A questão da sociedade. No livro é somente os EUA que vivem presos a esse " regime", isolados do resto do mundo. Senti vontade de saber, porque os outros paises não aderiram a mesma filosofia? Ou porque não lutaram para impedir? Coisas do tipo.

A arte de capa ficou bem legal, a tradução - como todas da Intrínseca - é impecável, a narrativa é muito gostosa, o livro flui bem rápido. E sim, a história é ótima!

O final é daqueles de matar. Aqueles em que você pensa " Cadê o próximo? Não tem mais nenhum cápitulo mesmo? Sério?".

Agora é contar os dias para o lançamento de Pandemônio.

Você pode comprar o livro aqui.

Confira o book trailer:

"...você pode morrer de amor ou da falta dele." pág.9

" Eu pensava que nada, nem ninguém, era livre em Portland, mas estava enganado. Sempre havia os pássaros." pág.184

" Isto vai me matar, isto vai me matar, isto vai me matar. E eu não me importo." pág.187

Amor: uma única palavra, algo delicado, uma palavra que não é mais larga ou longa que uma lâmina. É o que ela é: uma lâmina, uma navalha. Ela corre pelo centro de sua vida, cortando tudo em duas partes. Antes e depois. O restante do mundo cai em ambos os lados.
  Antes e depois - e durante, um momento que não é  mais largo ou longo que uma lâmina." pág.237

" Amor: ele vai matá-lo e salvá-lo, ao mesmo tempo." pág.307

" Prefiro morrer do meu jeito a viver do seu." pág.332




6 comentários

  1. Oi Máh!
    Fico irada com esses finais que deixam a gente na maior agonia por mais! De certo modo é bom mas me dá raiva mesmo assim rs
    Todo mundo que faz resenha desse livro fala que ele lembra os livros Destino e Feios, não sei se isso é algo muito bom por assim dizer, pois mesmo tratando-se todos eles de uma distopia, seria legal um pouco de originalidade no assunto, afinal distopia é apenas o "tema", como terror, fantasia, romance, etc... Mas enfim, para mim tenho certeza de que não será problema porque ainda não li nenhuma das duas séries comparadas hahaha Se bem que como tenho Feios acho que vou ler antes desse (você viu, não compro mais, a não ser que o ganhe em alguma promo, aí muda o cenário).
    Só uma coisa me deixa intrigada nesse livro: se é preciso completar 18 anos para a operação acontecer, como é que nenhum dos adolescentes - com nervos à flor da pele e cheio de hormônios - não havia se apaixonado antes? É de se esperar que a revolta já houvesse acontecido há muito tempo. Mas também pode ser apenas a minha falta de conhecimento, já que não li a história, para saber como ela explica tudo isso.
    Adorei a resenha! Beijos! =)

    ResponderExcluir
  2. Ai, ai, ai.. Morro de vontade de ler esse livro! Exatamente pelo mesmo motivo que você: distopia. Já faz um tempão que li uma primeira resenha do livro, lido ainda em inglês, e fiquei louca quando vi que iriam lançar aqui ;D

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Acho que como você, a palavra "distopia" me faz ficar com muita vontade de ler um livro.
    Quando li a sinopse do livro, pensei que ia ser mais uma dessas histórias bem originais sabe, que não dava pra fazer comparação com nenhuma outra. Mas assim como você, muitas outras pessoas acharam semelhanças com Destino e Feios.
    Mas mesmo assim, acredito que esse livro deve ser O MÁXIMO! E isso faz com que eu queria ir correndo para a livraria mais próxima para comprar. Uma pena que o dinheiro anda escasso, né?

    Um beijo,
    Luara - Estante Vertical

    ResponderExcluir
  4. Oi Amore (:
    Louca pra ler esse livro, a história me parece ser ótima.

    >> Promoção da Semana: Promoção Dupla (Blog + FB) - [http://migre.me/8q0w2] - Concurso Literário [http://migre.me/8wpyh] e Não deixe de participar dos TOP COMENTARISTAS!

    Abraços,
    Marinah Gattuso
    Contato: marinahbarcelos@hotmail.com
    Blog: marinahgattuso.blogspot.com
    Twitter: @blogmarinah_g
    Skoob: http://migre.me/8eOdZ

    ResponderExcluir
  5. Gosto da capa mas não sei se leria o livro. Não sou muito fã de distopias - só Jogos Vorazes mesmo =D

    teh mais

    ResponderExcluir
  6. Quero ler Delírio a um tempo, só de imaginar a ideia do autor. "Vacinação anti- amor"?! Nossa, me apaixonei de primeira. Geralmente a personagem principal é a menos gostada, e é a que os autores mais trabalharam, por que será?

    ResponderExcluir

Oi, pessoal! Obrigado por comentar e dividir suas opinioẽs, só tomem cuidado com comentários ofensivos.